Feirão Colonial

PDFImprimirE-mail

 

Todos os sábados no Centro de Referência de
Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter
Rua Heitor Campos, s nº - ao lado do Colégio
Irmão José Otão – Bairro Medianeira – Santa Maria, RS
Fone: 55 3222 6152

Horário: 7h às 12h.

FEIRÃO COLONIAL - 17 ANOS DE HISTÓRIA

                 O FEIRÃO COLONIAL faz parte das atividades do PROJETO ESPERANÇA/-COOESPERANÇA da DIOCESE DE SANTA MARIA e foi criado em 1º de abril de 1992, com a participação efetiva e comprometida dos Produtores Rurais e Urbanos associados e consumidores que tem consciência do consumo de produtos de qualidade para a defesa da Vida e Saúde, organizados na região central – RS.
                 Os FEIRÕES COLONIAIS realizam-se a cada sábado, no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, à rua Heitor Campos, s nº, ao lado do colégio Irmão José Otão, Santa Maria, RS.
                 A Gestão do Feirão Colonial é feita de forma colegiada, participativa e interativa entre a Equipe do PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA e os grupos associados, nos diversos segmentos de atuação do mesmo.
                 A Comercialização se dá de forma direta entre o produtor organizado e o consumidor/a. O consumidor/a fica sabendo quem produziu o produto que ele consome e se cria  uma  relação de confiança  mútua e solidária.
                Todos os participantes se comprometem na melhoria da qualidade dos produtos do FEIRÃO COLONIAL que fortalece a consciência e a prática do Comércio Justo, Consumo Ético e Solidário, entre produtores e Consumidores organizados e conscientes.
               O FEIRÃO COLONIAL faz parte das atividades do PROJETO ESPERANÇA/-COOESPERANÇA da DIOCESE DE SANTA MARIA e foi criado em 1º de abril de 1992, com a participação efetiva e comprometida dos Produtores Rurais e Urbanos associados e consumidores que tem consciência do consumo de produtos de qualidade para a defesa da Vida e Saúde, organizados na região central – RS.
             Os FEIRÕES COLONIAIS realizam-se a cada sábado, no Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, à rua Heitor Campos, snº, ao lado do colégio Irmão José Otão, Santa Maria, RS.
             A Gestão do Feirão Colonial é feita de forma colegiada, participativa e interativa entre a Equipe do PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA e os grupos associados, nos diversos segmentos de atuação do mesmo.
             A Comercialização se dá de forma direta entre o produtor organizado e o consumidor/a. O consumidor/a fica sabendo quem produziu o produto que ele consome e se cria  uma  relação de confiança  mútua e solidária.
             Todos os participantes se comprometem na melhoria da qualidade dos produtos do FEIRÃO COLONIAL que fortalece a consciência e a prática do Comércio Justo, Consumo Ético e Solidário, entre produtores e Consumidores organizados e conscientes.
Os Pontos fixos de Comercialização Solidária fazem parte deste importante projeto que são grandes espaços de articulação, debate, troca de experiências e de Comercialização Direta de produtos dos empreendimentos solidários. A Feira é um grande mutirão feito com a participação de diversas entidades e com Comissões de organização, organizações governamentais e não-governamentais.
            A Economia Popular Solidária vai muito além da resistência à exclusão social e ao desemprego. Ela aponta para uma nova prática econômica, para a “reinvenção da economia”, provando que “UMA NOVA ECONOMIA É POSSÍVEL”, que é capaz de criar e fortalecer novos empreendimentos e Gerar Trabalho e Renda a partir do trabalho cooperativado, autogestionário e da gestão participativa e transformadora.

                     A prática da Economia Solidária e o Cooperativismo Alternativo estão fundamentados na Cooperação, Autogestão, Produção Coletiva, Comercialização Direta, justa distribuição de Renda, Solidariedade, Agroecologia, Comércio Justo e Ético, Agricultura Familiar e com a lógica econômica que valoriza o ser humano e o trabalho, acima do capital. Tendo em vista

         formar novos sujeitos para o exercício da cidadania e inclusão social e construir um Projeto Democrático Popular e Sustentável. A Feira de Santa Maria, faz parte do Programa Nacional de Feiras, Feiras em Rede, cujo calendário se estende a todos os Estados Brasileiros.

          A 15ª Feira Estadual do Cooperativismo Alternativo, a 4ª Feira da Economia  Solidária dos Países  do  Mercosul, a 7ª Feira Nacional de Economia Solidária, a 8ª Mostra da Biodiversidade e Feira da Agricultura Familiar e o 4º Seminário Latino Americano de Economia Solidária e Mini-Fórum Social Mundial de Economia Solidária, são eventos Nacionais e Internacionais das Organizações Populares, Associações, Cooperativas, Empreendimentos Solidários do meio urbano e rural, no fortalecimento da autogestão e dos PACs (Projetos Alternativos Comunitários), projetos de geração de trabalho e renda, através da Cáritas Regional-RS e Projeto Esperança/-Cooesperança na Diocese de Santa Maria, SENAES (Secretaria Nacional  de  Economia Solidária), IMS (Instituto Marista de Solidariedade), MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário), Prefeitura  Municipal de Santa Maria, muitas Entidades apoiadoras e parceiras, cuja prática vem se consolidando e construindo no RS as Políticas Públicas para uma Economia Solidária, Agricultura Familiar,  Segurança Alimentar há mais de 22 anos de sua história bem sucedida.

         Os Beneficiários na 15ª FEICOOP: 145 mil pessoas, 18 mil pessoas participando dos debates, oficinas e Seminários e Redes Solidárias, 5.000 produtos em comercialização e em exposição, 1.600 pessoas envolvidas na organização do Evento, 60 Comissões de organização do Evento, 850 empreendimentos participantes expositores, 1.500 Empreendimentos Solidários em Rede, 400 entidades representadas e apoiadoras, 400 municípios brasileiros representados, 300 empreendimentos participantes nos debates, oficinas e seminários, 80 entidades envolvidas na organização do Ato Internacional e Ecumênico Pela Paz, 60 apresentações culturais no Palco da Feira, 90 caravanas do Brasil e Países do Mercosul e América Latina e 250 veículos de comunicação da América Latina, do Mercosul e do Brasil.
        Ao longo dos 15 anos foram realizados os seguintes Eventos Nacionais e Internacionais neste espaço:

  • 04 Feiras Internacionais de Economia Solidária dos Países do MERCOSUL
  • 15 FEICOOP - Feiras Estaduais do Cooperativismo Alternativo
  • 07 Feiras Nacionais de Economia Popular Solidária
  • 08 Mostras da Biodiversidade e Feira da Agricultura Familiar
  • 04 Seminários Latinos Americano de Economia Solidária
  • 04 Caminhadas Internacionais e Ecumênicas pela PAZ
  • 03 Eventos do “Levante da Juventude”
  • Inúmeros Seminários, Oficinas, Congressos e Atividades Culturais e de Formação.

      Ao longo destes 15 anos os dados numéricos colocam no Cenário histórico os seguintes dados:

  • +/- 4.620 Empreendimentos Solidários participaram
  • +/- 2.000 Municípios representados
  • 27 Estados Brasileiros representados nos Eventos
  • Muitos Países da América Latina e de outros continentes circularam nestes Eventos Internacionais ao longo dos 15 anos em torno de +/- 630 mil pessoas participaram.
  • Participaram ao longo deste processo centenas de Entidades, Apoiadores, consumidores/as que fazem parte desta história e hoje valorizam a importância da Economia Solidária que se encaminha para Políticas Públicas no Brasil e no mundo. São experiências que preservam o Meio Ambiente, constroem a Cidadania e Inclusão Social e participam do processo construtivo de um Modelo Solidário e Sustentável.

TEIA ESPERANÇA: É uma Rede de Comércio Justo, Ético e Solidário dos Pontos Fixos de Comercialização Direta do PROJETO ESPERANÇA/COOEPERANÇA, para a Comercialização Direta dos Produtos produzidos pelos Empreendimentos Solidários. São espaços que ajudam viabilizar os Empreendimentos Solidários e fortalecem o trabalho em Rede de Economia Solidária e Agricultura Familiar da Região Central – RS.

            Alguns Pontos fixos de Comercialização Direta que serão beneficiados por este importante Projeto:

  1. CENTRO DE REFERÊNCIA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DOM IVO LORSCHEITER

      Rua Heitor Campos, snº - Santa Maria – RS

  1. CEPS – CENTRO DE ECONOMIA POPULAR SOLIDÁRIA

      Rua Serafim Valandro, 1016 – Santa Maria – RS

  1. FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA NA ROMARIA DA TERRA

                  Feira Itinerante – Cada ano é em uma cidade diferente

  1. A ARTE DA INCLUSÃO

      Rua Serafim Valandro, 1016 – Santa Maria – RS

  1. LOJA: PRODUÇÃO E ARTE ESPERANÇA

      Rua Roque Calage, 10 – Santa Maria – RS

  1. FEIRÃO MENSAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

                  Praça Saldanha Marinho – Santa Maria – RS

  1. MERCADO PÚBLICO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E AGRICULTURA

            FAMILIAR -  Praça Saturnino de Brito – Santa Maria – RS

  1. FEIRÃO COLONIAL SEMANAL

                  Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter -
                  à rua Heitor Campos, s nº, ao lado do Colégio Irmão José Otão, Santa Maria, RS.

  1. CAFÉ CULTURA

                   Casa de Cultura - Praça Saldanha Marinho – Santa Maria – RS

  1. FEIRA ANUAL DA PRIMAVERA

                 Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter -
                 à rua Heitor Campos, s nº, ao lado do Colégio Irmão José Otão, Santa Maria, RS.

  1. FEIRÃO DA ROMARIA DA MEDIANEIRA

                 Parque da Medianeira – Santa Maria – RS

  1. ANOVA 1

                  Caçapava do Sul, RS

  1. ANOVA 2

                  Caçapava do Sul, RS

  1. COOPERATIVA “A QUERÊNCIA”

                  São Sepé, RS

  1. CABANA “Da Terra Alimentos”

                  Agudo, RS

  1. AGPC – Associação Giacomini Produtos Coloniais

                  São João do Polêsine, RS

  1. AGROFELIN

                  Faxinal do Soturno, RS

  1. PISCIS

                  Pinhal Grande, RS

  1. FEIRA ECOLÓGICA

                  Praça Saturnino de Brito – Santa Maria, RS 

  • FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DA ROMARIA DO TRABALHADOR/A

                  Feira Itinerante – Cada ano é em uma cidade diferente

  • FEIRA DE ECONOMIA SOLIDÁRIA NA EXPOINTER – ANUAL

                  Esteio – RS

  • FEIRA ECOLÓGICA

                  Tupanciretã – RS

  • FEIRA TEMÁTICA NA PRAÇA SALDANHA MARINHO - MENSAL

                  Santa Maria - RS
            Estes e outros importantes espaços fazem parte deste conjunto de espaços que fortalecem a Economia Solidária na Região Central e inclui milhares de trabalhadores no campo e na cidade que buscam a sua sobrevivência pela inclusão nos projetos de Economia Solidária, acompanhados pela SENAES (Secretaria Nacional de Economia Solidária), pela Cáritas Brasileira e o Projeto Esperança/-Cooesperança da Diocese de Santa Maria, RS, entre outras Parcerias.
           O PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA conta com um grande número de Entidades Parceiras e Apoiadoras entre as quais destacamos algumas:

  • CÁRITAS BRASILEIRA e REGIONAL - RS
  • MISEREOR/KZE - Alemanha
  • Governo Federal através dos Ministérios:

   - SENAES/MTE - Secretaria Nacional de Economia Solidária
                - MDS - Ministério do Desenvolvimento Social
                - MDA - Ministério do Desenvolvimento Agrário
                - SDT - Secretaria do Desenvolvimento dos Territórios

  • Territórios da Cidadania
  • IMS - (Instituto Marista de Solidariedade)
  • EMATER
  • SEBRAE
  • PETROBRÁS
  • CAIXA ECONÔMICA FEDERAL
  • SICREDI-SM
  • Assembléia Legislativa – RS
  • Câmara Municipal Vereadores de Santa Maria – RS
  • ELETROSUL
  • Prefeitura Municipal de Santa Maria – RS
  • Banco do Povo
  • Veículos de Comunicação Social
  • SAEMA (Sociedade Assistencial e Educativa Mãe Admirável)
  • UNIFRA (Universidade Franciscana)
  • UFSM (Universidade Federal de Santa Maria)
  • UNISINOS (Universidade do Vale dos Sinos)
  • CRESOL
  • ASSINTRAF
  • FETRAF/SUL
  • CPT ( Comissão Pastoral da Terra)
  • PO (Pastoral Operária)
  • CEBS (Comunidades Eclesiais de Base)
  • Sindicatos dos Trabalhadores Rurais

Outros parceiros...

FEIRÃO COLONIAL TODOS OS SÁBADOS

  • HORÁRIO: 7h às 12h
  • LOCAL: Centro de Referência de Economia Solidária Dom IvoLorscheiter

                            Rua Heitor Campos, s nº - ao lado do Colégio Irmão José Otão
                            Bairro Medianeira – Santa Maria, RS - Fone: 55 3222 6152

  • PRODUTOS: Produtos Coloniais, Caseiros, Agroindústria Familiar, Agroecologia,

                                    Artesanato e Confecção, Plantas Ornamentais, Livros Usados, de vários
                                     tipos.

  • ABRANGÊNCIA REGIONAL: com a participação dos Municípios do Território

                                                             Central do MDA (Ministério do Desenvolvimento
                                                             Agrário) e do Corede Centro - RS

1º- PAVILHÃO - Alimentação
     Produtos das Agroindústrias Familiares, Panificação e Açougue.

2º- PAVILHÃO – Convivência e Lazer
Com piso e cobertura. É um espaço de convivência e lazer, recreação, caminhada, educação física de alunos do Colégio Irmão José Otão, lanches, oficinas e outros espaços de Formação Cultural e convivência.

3º- PAVILHÃO - Artesanato
      É destinado totalmente para Artesanato e Cursos de Formação. Aos sábados e durante a
      semana, será conforme planejamento dos Grupos de artesanato com arte e qualidade.
        
4º- PAVILHÃO – Hortifrutigranjeiros e Plantas Ornamentais
     Este pavilhão é destinado aos Hortigranjeiros e os produtos da Agricultura Familiar. Neste
     espaço é feita também a entrega mensal  dos produtos do PAA (Programa de Compra
     Antecipada de Alimentos)  da  Segurança   Alimentar  Nutricional Sustentável  de mais de
     150 Agricultores Familiares, que beneficiam cerca de 43 organizações e entidades e de um
     Público de mais 3.000 famílias.
ESPAÇO PARA A ECONOMIA SOLIDÁRIA
                    Toda área construída do Centro de Referência de Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, à rua Heitor Campos, snº, ao lado do colégio Irmão José Otão, Santa Maria, RS, tem um significado de luta, de busca e de construção coletiva através de inúmeras parcerias.
                    O primeiro prédio foi construído com um apoio significativo e histórico da MISEREOR/KZE – Alemanha e com apoio nos equipamentos da Cáritas/RS, em 1989. Os outros prédios foram construídos com recursos Públicos dos Governos nos níveis municipal, Estadual e Federal como segue o HISTÓRICO DA ÁREA CONSTRUÍDA DOS PAVILHÕES:

  • O 1º PAVILHÃO: de 368 mt2 – Foi apoiado pela MISEREOR/KZE e o Governo ALEMÃO - ALEMANHA e da CÁRITA/RS. Foi inaugurado em 05 de junho de 1989, ainda no século passado.

 

  • O 2º PAVILHÃO: de 250 mt2 - Foi apoiado pelo OP (Orçamento Participativo) em 2001 do Governo do Estado do RS, no período do Governo Olívio Dutra, através da SEDAI/ECOSOL e foi inaugurado em 23 de dezembro de 2001. Foi investido R$ 81.000,00 (oitenta e um mil reais) do Governo do Estado e R$ 9.000,00 (nove mil reais) do PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA e o serviço de máquinas da Prefeitura Municipal de Santa Maria no período do Governo Valdeci Oliveira e com um apoio da Cáritas/RS, para alguns equipamentos internos e a parte de Formação  dos grupos  que  participam do Feirão Colonial.
  •  3º PAVILHÃO: É o prédio do meio, com a metragem de 615 mt² e foi apoiado pelo Governo do Estado/RS, no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais) no período do Governo Germano Rigotto, através do Gabinete da Reforma Agrária (GRAC), com o incansável apoio do Secretário Vulmar Leite e sua equipe, com a participação do serviço de maquinário da Prefeitura Municipal de Santa Maria, do Governo Valdeci Oliveira e a contrapartida do PROJETO  ESPERANÇA/COOESPERANÇA da Diocese de Santa Maria no valor de R$ 24.000,00  (vinte  e  quatro  mil reais), somando um total de R$ 124.000,00 (Centro e Vinte e quatro mil reais). O prédio foi inaugurado em 23 de dezembro de 2006, com uma Confraternização e um FEIRÃO NATALINO.

 

  • 4º PAVILHÃO: É a sala de Reuniões e um conjunto de 12 banheiros (masculinos e femininos) e dois para deficientes físicos (masculino e feminino), com a metragem de 250 mt². Este projeto foi apoiado com uma Emenda Parlamentar do Deputado Federal Paulo Pimenta, no valor de R$ 100.000,00 (cem mil reais), com recursos do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) do Governo Federal e com a contra-partida da Prefeitura  Municipal de Santa Maria no valor de R$ 28.000,00 (vinte e oito mil reais) no  período do Governo Valdeci Oliveira, somando um total de R$ 128.000,00 (Centro e  vinte e oito mil reais). O Prédio foi inaugurado no dia 22 de dezembro de 2007, com uma Confraternização e um FEIRÃO NATALINO.
  • 5º PAVILHÃO: Este Pavilhão teve o apoio do MDA (Ministério do Desenvol-vimento Agrário) no valor de R$ 110.000,00 (cento e dez mil reais) e a contrapartida da Prefeitura Municipal de Santa Maria no valor de R$ 28.000,00 (vinte e oito mil reais) e a metragem de 450 mt². O Prédio foi inaugurado no dia 20 de dezembro de 2008, com uma CONFRATERNIZAÇÃO NATALINA no FEIRÃO COLO-NIAL, e uma especial homenagem de reconhecimento pelos 8 anos do Governo Valdeci Oliveira e toda a sua incansável e dedicada equipe de Administração de 2001 a 2008. Quando iniciou o Governo Valdeci Oliveira, existia apenas um prédio, o restante foi conquistado em parceria ao longo dos 8 anos do Governo Municipal, em parceria do PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA da Diocese de Santa Maria e o apoio  incansável  da  Cáritas – RS e outras parcerias.

 

  • 6º PAVILHÃO: O 6º Pavilhão será, nos fundos e na frente dos prédios existentes previstos para iniciar em 2009, com apoio de Emendas Parlamentares e com recursos do Governo Federal e do MDA (Ministério do Desenvolvimento Agrário) e da nova Administração da Prefeitura Municipal de Santa Maria, do Governo César Schirmer e a contrapartida da Prefeitura Municipal de Santa Maria que exigem as Emendas Parlamentares dos Deputados Federais Henrique Fontana e Marco Maia.

O terreno é cedido pela Mitra Diocesana de Santa Maria para esta finalidade, através de Cessão de Uso. A gestão e manutenção do FEIRÃO COLONIAL são feitas de forma colegiada, participativa e interativa, junto com os Empreendimentos Soli-dários, vinculados ao Projeto Esperança/Cooesperança e da Teia Esperança.

 

DADOS HISTÓRICOS SOBRE O FEIRÃO COLONIAL

  • 1ª Etapa: A primeira Feira, no prédio nº 01 foi realizada no dia 05 de junho de 1989, no dia da inauguração do Prédio com a participação de alguns grupos organizados. A primeira etapa de Comercialização se realizou juntamente com os produtores da região que vinham uma vez por semana nas sextas-feiras e aos sábados e comercializavam diretamente os seus produtos ao consumidor/a. A Feira foi realizada durante dois dias da semana, no início da Comercialização. Este período durou apenas 1 (um) ano e não foi viável.

 

  • 2ª Etapa: A segunda etapa do Feirão Colonial, o caminhão juntamente com uma equipe do Projeto Esperança/Cooesperança buscavam o produto nos grupos  e  comunidades  do  interior, pois o pessoal não tinha transporte e sem condições de vir até a cidade. Esta experiência se tornou inviável, pelo alto custo do transporte e pela insatisfação no produtor. Este período durou em torno de 2 (dois) anos  e  foi  considerado  inviável  economicamente  e  pela  metodologia  usada.
  • 3ª Etapa: O FEIRÃO COLONIAL como funciona hoje, começou no dia 1º de abril de 1992, através de Comercialização Direta entre os produtores e os consumidores. Esta experiência completa os seus belos 17 anos de uma feliz trajetória. Esta experiência deu certo e já serviu de exemplo para muitas  caravanas de muitos lugares que visitaram o FEIRÃO COLONIAL e se  inspi-raram  nesta  forma de organização, gestão colegiada e Comercialização Direta.

 

  • 4ª Etapa do FEIRÃO COLONIAL - 17 ANOS: Esta nova etapa, ao completar os seus 17 anos tem como prioridade uma ampliação e qualificação em 2009. A partir da 04/04/2009 os prédios serão distribuídos por segmentos: Este espaço qualificado e ampliado se torna cada vez mais um Centro de Referência de Economia Popular Solidária e Agricultura Familiar. O FEIRÃO COLONIAL une, congrega e soma forças para aqueles e aquelas que não tem possibilidade de ter outros espaços para expôr e comercializar os seus produtos.

 

BANCO DE SEMENTES “CHICO MENDES”:

              Este é um espaço que foi criado com apoio do MDA (Ministério do Desenvolvimento  Agrário) e da Prefeitura  Municipal  de  Santa  Maria  em  2007 e tem a finalidade  de formar  a consciência do resgate da Semente Crioula, a troca de sementes e a valorização das  sementes  como o grande Patrimônio da Humanidade. A semente não pode ficar na mão de algumas Empresas Multinacionais, através do monopólio. A semente é um bem universal e um Patrimônio da Humanidade. Os Agricultores Familiares cultivam esta consciência, participação e por isso, que preservar a semente é possível.

Horário de Funcionamento do FEIRÃO COLONIAL é todos os sábados inclusive nos feriados, exceto Natal e Páscoa , quando  cai no sábado.

Das: 7h às 12h todos os sábados.

 

OUTRAS ATIVIDADES QUE FUNCIONAM NESTE ESPAÇO DO FEIRÃO COLONIAL:
                 Feiras diversas, como a FEIRA ANUAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA DO MERCOSUL, FEICOOP, MOSTRA DA BIODIVERSIDADE, FEIRA DA PRIMAVERA, ENCONTROS DIOCESANOS DA JUVENTUDE, ENCONTRO DA REDE MÍSTICA FEMININA DO MEIO POPULAR, SEMINÁRIOS REGIONAIS DE ALTERNATIVCAS À CULTURA DO FUMO, MARCHA DO MST, atividades dos Povos Indígenas, Cursos, Encontros diversos, acolhida de Caravanas de outras cidades, entrega mensal dos produtos do PAA (Programa de Compra Antecipada de Alimentos) do Programa FOME ZERO, reuniões, jornadas de estudos, cursos diversos, entre outros.

SALA DE REUNIÕES “IRMÃ DOROTY”:
                  É uma sala com a finalidade de fortalecer o processo Formativo entre os grupos organizados. Este espaço é ocupado intensivamente e todos os sábados, tem reuniões formativas, debates e troca de experiências dos grupos associados, visitantes e dos diferentes segmentos que se articulam dentro do PROJETO ESPERANÇA/COOESPERANÇA, TEIA ESPERANÇA e da CPT (Comissão Pastoral da Terra) da Diocese de Santa Maria.

RÁDIO INTERNA: “VOZES DA ESPERANÇA”
                  Este é um importante espaço interativo, que  visa  fortalecer a Comunicação dos  Grupos entre si, com os prédios entre si e os consumidores/as. Junto com este espaço se trabalha toda a questão cultural, a música, o canto, teatro, troca de experiências, debate, entre outras atividades culturais.

TEIA ESPERANÇA:
         É uma Rede de Comércio Justo, Ético e Solidário dos Pontos Fixos de Comercialização Direta do PROJETO ESPERANÇA/COOEPERANÇA, para a Comercialização Direta dos Produtos produzidos pelos Empreendimentos Solidários. São espaços que ajudam viabilizar os Empreendimentos Solidários e fortalecem o trabalho em Rede de Economia Solidária e Agricultura Familiar da Região Central – RS.

 

A FEIRA  DE  SANTA  MARIA: “UMA  EXPERIÊNCIA  APRENDENTE  E  ENSINANTE
           Desde 1994, realiza-se em Santa Maria este grande Evento, da Feira Internacional de Economia Solidária, do Mercosul e da América Latina que completará em 2009 a sua 16ª Edição. A partir de 1998 a Feira tomou cunho Estadual, em 2000 tornou a Feira Nacional, em 2005, a Feira do Mercosul. A partir de 2007 a Feira tomou um cunho Latino Americano de grande articulação, também com outros Continentes.
          A FEIRA DE SANTA MARIA, faz parte do Programa e Calendário Nacional de Feiras. As Feiras em Rede, são coordenadas pela SENAES/MTE, IMS (Instituto Marista Solidariedade), FBES (Fórum Brasileiro de Economia Solidária), bem como os Fóruns Estaduais e Regionais. As Feiras são grandes e significativos espaços, para dar visibilidade a Economia Solidária e as Políticas Públicas do Brasil.
          A FEIRA DE SANTA MARIA é um grande braço do FSM (Fórum Social Mundial)  integrados pelo Projeto Esperança/Cooesperança da Diocese de Santa Maria, Prefeitura  Municipal de Santa Maria, Cáritas e muitas Entidades, organizado por um grande Mutirão,   através das Comissões de trabalho. A organização da Feira é uma grande escola de participação, comprometimento, integração, Democracia e Autogestão.
          Juntamente com a Feira acontecem Conferências, Seminários, Oficinas, Debates, Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz, Momentos Culturais, Shows e muitas  atividades, onde as pessoas se tornam sujeitos participativos e os Empreendimentos   Solidários colocam a disposição dos Consumidores/as uma grande variedade de produtos  produzidos pela Economia Solidária e Agricultura Familiar e articulação com os   consumidores/as.
          Durante a Feira, acontecem as práticas do Comércio Justo e do Consumo Ético e Solidário. Na Feira não há consumo de cigarros. A água não é comercializada durante a Feira, pois a água é um Bem Universal e Patrimônio da Humanidade. Durante a feira não há comercialização de refrigerantes. Os produtos são de procedência Ecológica. A linha Editorial da Feira, tem plena sintonia com a proposta. É um Evento que vale a pena. Você não pode perder. Organize a sua caravana. Venha e participe !
         ECONOMIA SOLIDÁRIA: OUTRA ECONOMIA ACONTECE! A FEIRA DE SANTA MARIA É UMA EXPERIÊNCIA APRENDENTE E ENSINANTE que fortalece os processos participativos, organizativos, autogestionários e transformadores. Esta proposta forma sujeitos e cidadãos/as no exercício da cidadania.
         BOAS VINDAS à Santa Maria, da Boca do Monte e do Coração do Rio Grande do  Sul -  Brasil.

QUADRO HISTÓRICO E NUMÉRICO DOS FEIRÕES COLONIAIS:

  • FEIRÕES COLONIAIS de 1989 a 1992 – 200 Feirões Coloniais realizados
  • De 1º de abril de 1992 até 04 de abril de 2009 – foram realizadas 1.100 edições do FEIRÃO COLONIAL. Ao todo, desde 1989 até 2009, foram realizados 1.300 Edições dos Feirões Coloniais desde o início em 05/06/1989.
  • Entrega dos Produtos do PAA - Desde 2004 - foram entregues produtos do PAA (Programa de Compra Antecipada de Alimentos) do Programa FOME ZERO do Governo Federal, e foram 208 entregas de produtos. Foram beneficiados neste Programa: 43 organizações, mais de 3.000 famílias, e em torno de 150 Agricultores Familiares da região central - RS.

 

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Contato

Projeto Esperança Cooesperança

Endereço : Rua Silva Jardim 1704 - Centro
CEP : 97010-490
Cidade : Santa Maria -RS

Fones : (55) 3219.4599 / 3223.0219
Email : projespcooesp@terra.com.br

Clima Tempo

RADIO VOZES DA ESPERANÇA

 

 

 
 
A Rádio Vozes da Esperança faz parte do Projeto Esperança/Cooesperança, coordenado pela Irmã Lourdes Dill.

 

acesse a rário...